A APA desenvolve atualmente ações nas escolas de divulgação da Antropologia e da sua importância no ensino secundário, algumas das quais se encontram detalhadas abaixo. Estamos em contacto com a Associação Portuguesa de Sociologia e Ordem dos Psicólogos Portugueses de modo a aumentar a presença de pessoas formadas em ciências sociais no ensino público. Continuamos a trabalhar em duas frentes:

– a divulgação destas ações junto da comunidade antropológica, incentivando os antropólogos a participar nos projetos das escolas, tentando ao mesmo tempo ampliar as ações para outras zonas do país.

– criação de condições para reforçar a presença de antropólogos nas escolas em todos os ciclos de ensino e possibilidade dos antropólogos poderem realizar profissionalização de forma a diminuir a precariedade e permitir o ingresso destes docentes na carreira. 


A APA tem vindo a promover o “dossier secundário”, que tem o objetivo geral de divulgar a Antropologia no ensino secundário e dois objetivos específicos: fazer com que a Antropologia volte a ser uma disciplina disponibilizada como optativa para os alunos no secundário e garantir que os antropólogos voltem a poder lecionar nas escolas a sua disciplina e outras para as quais têm competências.

Abaixo deixamos breves relatos de iniciativas que envolvem a presença de antropologia e antropólogas/os nas escolas:

[ATUALIZAÇÕES]

Projeto de Antropologia com crianças | Contar a história do nosso bairro, nos Anjos, em Lisboa

A partir de um projeto de uma escola do I ciclo em Lisboa que foi desenvolvido entre 2021 e 2022 (numa parceria entre o Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves e o CRIA) e que está a ter ainda continuidade através de um trabalho de disseminação, surge esta iniciativa divulgada no jornal A Mensagem (02/01/2024):

“O bairro dos Anjos foi contado por crianças… e deu um álbum: o que têm elas a dizer?

Giulia, Micol e Kitti chegaram a Lisboa com um sonho: “Levar a escola para fora da escola, para dentro do bairro”. Tudo começou com uma pequena Oficina de Antropologia na Escola Sampaio Garrido, onde crianças do 4º ano se tornaram pequenos repórteres do bairro dos Anjos.”

Continuar a ler…


Vídeo do 3º período letivo (2022/2023) na escola Rainha D. Leonor, onde existem duas turmas de antropologia:


Vídeo do 2º período letivo na escola Rainha D. Leonor: as turmas de Antropologia (e outras), fazendo o seu caminho em articulação com outras áreas, instituições da sociedade civil e investigadores das universidades, com auditórios sempre cheios.

 

Antropologia na escola – No primeiro período foram realizadas atividades para duas turmas, na Escola Secundária Rainha Dona Leonor


 

No passado dia 15 de Novembro de 2022, a APA reuniu com a Associação Portuguesa de Sociologia e com a Ordem Portuguesa dos Psicólogos para encontrarmos pontos comuns na luta pelo acesso à carreira docente nas escolas. A reunião foi produtiva e temos novo encontro marcado para dezembro. Fica atento/a ao site / Em breve voltaremos a dar notícias.
 

 

Caro/s sócio/as e colegas,

 

Reunimos na passada segunda-feira dia 16 de agosto com o Ministro da Educação João Costa, no seguimento das diligências do dossier Antropologia no Secundário.

É com satisfação que partilhamos que, ainda este ano civil, será publicada a revisão das habilitações para a docência, possibilitando que os e as antropólogas possam lecionar com habilitação própria.
Esperamos ter mais novidades em breve.

Consultem a página e divulguem. 

 

 

Mais antropologia no secundário no próximo ano letivo

Este ano letivo, o interesse pela opção de Antropologia aumentou de uma para duas turmas na escola onde foi dada a opção.
De 21 alunos, passaremos no próximo ano para cerca de 50.
Com a ajuda dos investigadores CRIA – FCSH- ISCTE e da sociedade civil ficaram claras muitas das valências desta disciplina para diferentes áreas curriculares: Cidadania e Desenvolvimento, Domínios de Articulação Curricular, Geografia, Filosofia.
A APA continuará a desenvolver esforços para a criação do grupo de docência em Antropologia no Secundário.

 


No ano letivo de 2021/2022, a Escola Secundária Rainha D. Leonor acolhe uma turma de Antropologia de 12º ano

Vídeo do 3º período com as atividades da “Oficina de Antropologia” durante o ano letivo 2021/2022

As atividades da disciplina de Antropologia do 12º ano estão a encerrar. Prepara-se um novo ano, com a abertura desta opção à área de Ciências.

 

Ver aqui o FLYER  do evento organizado pelas Oficinas de Antropologia de encerramento do ano letivo

 


 

Teaser das atividades do primeiro período:

 

A equipa que organiza este dossier recolheu este período as seguintes atividades:

Escola Secundária Rainha Dona Leonor

 

Setembro:

Criação da Oficina de Antropologia e Cidadania (Escola Secundária Rainha Dona Leonor)

Oferta da opção de Antropologia no 12º ano

Parcerias (CRIA-ISCTE-NOVA- ESRDL-APA)

 

Palestras dinamizadas:

11 Outubro:

Rita Cachado: Métodos e técnicas de recolha de informação em Antropologia.

Destinatários: alunos de Antropologia 12º ano (ESRDL)

Parcerias (CIES-ISCTE)

14 Outubro:

Organização da biblioteca de Antropologia (ESRDL), com a coleção completa da revista “Etnográfica”, oferecida pelo CRIA.

Parcerias (CRIA-ISCTE)

16 de Outubro:

Participação na Mesa Redonda, “Religiões e Património”, que decorreu no Museu Nacional de Etnologia , com os alunos de Antropologia do 12º ano.

Parcerias (APA, MNE, CRIA)

18 de Outubro:

Início da parceria com Helena Tavares e Joana da Conceição no projeto “Roda Viva”

Parcerias (DGEAC – PDA)

3 de Novembro:

Organização da palestra “Literacia e Saúde Mental” drª Luísa Coelho

Parcerias (CRIA-ISCTE,Centro Psiquiátrico Hospitalar de Lisboa)

 

6 de Dezembro:

Organização da Palestra “Ética e Jornalismo”, por Diana Andringa

Parcerias (CRIA-ISCTE-ESRDL)

 

Estas atividades foram realizadas pela Oficina de Antropologia, dirigindo-se aos alunos do ensino secundário que fizeram propostas de temas a abordar durante o ano letivo.

Para tal , as professoras de Antropologia e Cidadania procederam à articulação dos seus objetivos com os domínios de articulação curricular, envolvendo os conteúdos de disciplinas diversas (Matemática, Inglês, Psicologia, Artes Visuais).

Desta articulação resultaram trabalhos de diversa natureza, que foram avaliados e integrados nos currículos dos alunos, tendo envolvido mais de 200 alunos da escola, direta ou indiretamente.

 

Escola Secundária de Camões

Semana C&T:

Porque precisamos da antropologia para perceber melhor a humanidade?

https://www.cria.org.pt/pt/cria-na-semana-ct-porque-precisamos-da-antropologia-para-perceber-melhor-a-humanidade

 

Escola Secundária António Arroio

https://www.cria.org.pt/pt/projects/ecos-exilios-contrariar-o-silencio-memorias-objectos-e-narrativas-de-tempos-incertos

 

EB1 Sampaio Garrido, Freguesia de Arroios

Pequena Oficina de Antropologia

https://www.cria.org.pt/pt/projects/pequena-oficina-da-antropologia

 

O segundo período escolar continuará este processo de divulgação, a partir dos conteúdos curriculares e das parcerias desenvolvidas.

 


A APA tem vindo a promover o “dossier secundário”, que tem o objetivo geral de divulgar a Antropologia no ensino secundário e dois objetivos específicos: fazer com que a Antropologia volte a ser uma disciplina disponibilizada como optativa para os alunos no secundário e garantir que os antropólogos voltem a poder lecionar nas escolas a sua disciplina e outras para as quais têm competências.

Houve vários ciclos de luta neste domínio, tanto pela APA como por vários departamentos de antropologia, no final dos anos 1990, durante os anos 2010, e agora com novo impulso. Os quatro departamentos de antropologia das universidades públicas portuguesas (ISCTE-IUL, Universidade de Coimbra, ISCSP-UL e NOVA-FCSH) aceitaram o desafio da APA de construir um mestrado via de ensino para os e as estudantes de antropologia poderem adquirir competências para lecionar nas escolas, algo que é obrigatório, mas que não existe ainda para a antropologia. Chamámos-lhe Mestrado de Antropologia e Cidadania.

Para completar o processo de candidatura e aprovação deste mestrado nas universidades referidas é importante que o Ministério de Educação emita um despacho que crie o grupo de Antropologia e Cidadania, sem o qual não há mestrado que valha para lecionar nas escolas.

Este mestrado não é um capricho. Ele representa duas necessidades: os e as antropólogas com a licenciatura terminada têm poucas saídas profissionais; estima-se que as escolas percam mais de 15 mil professores em várias áreas nos anos vindouros.

Ainda não conseguimos reunir com as autoridades competentes, mas contamos com os e as sócias da APA para apoiar esta luta.

No campo da divulgação da Antropologia no secundário, além da colaboração de investigadores em debates nas escolas, procedeu-se à divulgação da opção de Antropologia de 12º ano, em todas as áreas disciplinares, tendo sido bem recebida nas áreas de Ciências e Economia.

No próximo ano letivo procurar-se-á a coordenação entre Antropologia e Cidadania e Desenvolvimento, processo que já está em estudo.

Os centros de investigação, sobretudo o CRIA mas também outros, têm colaborado de forma ativa nessas iniciativas e os departamentos de antropologia mostram-se empenhados em continuar e aprofundar essa ligação com o secundário.

Juntamos aqui, para conhecimento, o conteúdo do último email que enviámos ao Secretário de Estado da Educação no início de maio de 2021 (temos investido muito neste contacto e esperamos em breve dar mais notícias):

A saída de milhares de professores prevista para os próximos 5 a 10 anos evidencia a importância da formação específica para a docência, em linha com as novas orientações relativas às aprendizagens dos alunos, e aos projetos educativos das escolas.

O mestrado proposto, (Antropologia e Cidadania) permitirá ter professores habilitados para as disciplinas de:

(1) Cidadania e Desenvolvimento (2°, 3° ciclos e secundário); 

(2) Antropologia 12°; 

(3) Geografia 3° ciclo e secundário, que já apresenta carência de professores atualmente.

 

Muitos sócios finalistas de Antropologia não podem fazer profissionalização se não houver um grupo de docência, que poderá envolver as disciplinas acima citadas.

A principal mais-valia deste mestrado consiste em:

Combater o desemprego e colaborar para que não faltem professores nas escolas, motivando também novos profissionais para a prática da docência, atualmente pouco atrativa.

 

A APA tem recebido pedidos das e dos estudantes apelando à profissionalização, tendo por isso reunido com as universidades, a fim de organizar uma proposta viável para colmatar estas insuficiências, desde logo aceite por estas, e encontrando-se a estrutura praticamente concluída, sem que represente um acréscimo de serviço docente, organizado com as atuais ofertas disponíveis, num regime misto (presencial e E@D).

 

O mestrado em construção convoca unidades curriculares já existentes de 4 universidades (UCoimbra, ISCTE-IUL, ISCSP-UL, NOVA-FCSH) articulando ofertas já existentes (ver anexo, por favor) de outros mestrados em ensino, permitindo aos seus alunos um conhecimento multifacetado numa oferta inovadora.

 

A APA tomou a iniciativa desta proposta, que considera vir ao encontro de algumas dificuldades previsíveis, representando os antropólogos um importante contributo para uma visão mais dinâmica dos processos educativos e das suas ligações às comunidades (autarquias, associações culturais e outras). 

 

A APA tem contribuído nos últimos 4 anos para a divulgação da Antropologia nas escolas, realizando atividades diversas em parceria com os investigadores do ISCTE-IUL, NOVA-FCSH.

(13 de maio de 2021)


A APA iniciou na direção anterior (2017-2020) um trabalho/dossier a que chamou Antropologia no Secundário. A atual direção está empenhada na continuação destas atividades e na promoção da Antropologia como disciplina oferecida no secundário, preferencialmente por antropólogos. Se no passado muitas e muitos se lembram desta disciplina no secundário, neste momento é uma oferta residual no país.
(16 de novembro de 2020)


Programa de Antropologia – 12º Ano de Escolaridade (2018)

Data: Agosto de 2018
Programa da disciplina de Antropologia 12º ano – elaborado por Lurdes Pequito e por Rita Cachado, revisto por Clara Saraiva, em 2018, homologado pela Direção Geral de Educação, através do Despacho n.º 8476-A/2018. Pode consultar o documento AQUI.


Programa de Antropologia – 12º Ano de Escolaridade (2006)

Data: Abril de 2006
Programa da disciplina de Antropologia 12º ano – elaborado pela direcção da APA [autoria: Carlos Simões Nunes, José Manuel Sobral (coordenador), Margarida Fernandes], homologado pelo Ministério da Educação, Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular. Pode consultar o documento AQUI.


Comunicação “Antropologia no ensino secundário: estado do processo”

no VII Fórum APA: Os trabalhos dos antropólogos fora da academia (2017), por Rita Cachado e Joana Lucas

programa completo AQUI


Actividades realizadas em Escolas Secundárias:


 

Imagens relacionadas: