Dia N | Schoolscapes – filmes de Atelier e de Oficinas

      Comentários fechados em Dia N | Schoolscapes – filmes de Atelier e de Oficinas

Dia N | Schoolscapes – filmes de Atelier e de Oficinas

A próxima sessão do Dia N irá decorrer no dia 18 de dezembro (terça-feira), às 18h00 na Casa do Alentejo (R. das Portas de Santo Antão, 58) e irá contar com diferentes filmes e exercícios audiovisuais realizados por estudantes de mestrado em antropologia visual e de oficinas de etnoficção. A sessão será seguida de um debate com os realizadores e, por fim, por um jantar de convívio no mesmo lugar (preço médio por refeição: 8 a 10€).

Queremos criar um espaço onde podemos trocar ideias, levantar questões e falar sobre os nossos processos de trabalho!

Organização: CRIA/NAVA, FCSH NOVA, ISCTE-IUL

Trabalhos

Os meus sonhos, de Paula Tavares, 7:29, 2018.
O sonho de abrir um orfanato para crianças de todo o mundo enfrenta dificuldades até tornar-se realidade.

Sete trombetas, de Bruno Franco, 4:41, 2018.
A cada toque da trombeta um novo cataclismo abate-se sobre a Terra. Haverá salvação para a humanidade?

Tristeza e Alegria. Uma história de amor, de Tânia Pinto, 7:39, 2018
Uma história de traição e roubo com final feliz (e making of).

Oito Mil Binóculos, de Hugo Maia, 7:30, 2006
Implosão das duas torres de Tróia. Organização de um evento para ver este “acontecimento”, distribuição de binóculos pelos presentes. 

BRAVO, de Alfredo M. Pontes, 13:50, 2017
Construído a partir de processos colaborativos, «BRAVO» é um recorte da vida de Fernanda Bravo, performer do grupo Transhow.

Retratos da Horta, de Maria Figueira, 10:26, 2018
Retratos da Horta, assume a forma de um ensaio audiovidual experimental que propõe a exploração de um lugar, a HortaFCUL, através da produção de retratos pelos voluntários da HortaFCUL em colaboração com a aluna, Maria Figueira. Estes retratos de um minuto são apresentados em simultâneo com uma narrativa sonora constituída por sons particulares captados no espaço da Horta, contribuindo com referentes não incluídos na imagem e, assim, explorando a capacidade epistemológica do som na construção e produção de lugares. 


Cartaz de Catarina Leal

Imagens relacionadas: